sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Waldemir José aciona MPE para esclarecer denúncias de aplicação temerária de recursos do Manausprev


Durante a Audiência Pública de autoria do vereador Waldemir José, realizada na manhã desta sexta-feira (23) na Câmara Municipal de Manaus (CMM) com o atual presidente da Manausprev Edson Nogueira Fernandes Júnior e a ex-presidente Danielle Vasconcelos Correa Lima para prestarem esclarecimentos sobre a aplicação dos R$ 33 milhões no Banco BVA que resultou em prejuízos para os contribuintes, o autor da proposta anunciou que entrará com representação junto ao Ministério Público (MPE) pedindo investigação das acusações levantadas pela ex-gestora e atual gestor. 

A justificativa para essa ação, segundo o parlamentar, é que na Audiência Pública houve divergências de informações. Tanto a ex-presidente quanto o atual presidente atribuíram os prejuízos acarretados pelas aplicações nos fundos de investimentos às administrações dos ex-prefeitos Amazonino Mendes e Serafim Corrêa.

“Não ficaram claras quais foram as punições que podem ser aplicadas aos responsáveis por esse prejuízo causado ao dinheiro da previdência dos servidores públicos municipais. Além disso, existem várias questões que precisam ser esclarecidas, como: quanto de fato é o volume de recursos perdidos nas aplicações desses fundos?”, questionou Waldemir José.

Ao final da reunião, Waldemir José requereu à Câmara cópia das gravações da audiência para ser anexada à representação ao MPE e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que os responsáveis sejam devidamente punidos pelos investimentos temerários, que podem causar um prejuízo de R$ 220 milhões aos aposentados e pensionistas do município. “Há uma cultura neste país de que somente ladrões de galinhas vão para cadeia. Os poderosos sempre se livram das punições. É preciso dar um basta nisso”, argumentou o parlamentar petista.

Fonte: Assessoria de Comunicação