segunda-feira, 26 de agosto de 2013

CPI da Pedofilia ouve Adail Pinheiro

O prefeito de Coari, Adail Pinheiro, vai depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nesta terça-feira (27), às 14h30. Os parlamentares querem informações sobre a rede de exploração sexual, que seria chefiada por Pinheiro.

Prefeito começou a ser investigado pela Polícia Federal em 2006.

O prefeito começou a ser investigado pela Polícia Federal (PF) em 2006, por suposto desvio de recursos públicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) repassados ao município. Já as denúncias de pedofilia surgiram no decorrer das investigações, em escutas telefônicas judicialmente autorizadas, realizadas pela PF. As investigações culminaram na chamada 'Operação Vorax', que resultou na prisão de Adail, em 2009.

A presidente da CPI, deputada Erika Kokay (PT-DF), informou que é necessário ouvir o prefeito em Brasília. “Obviamente que isso não nos impedirá de retornar ao município, para coletar os demais depoimentos, cujos requerimentos já foram aprovados”, explicou. 

Novas denúncias

Adail também será solicitado a prestar esclarecimento sobre denúncias mais recentes, inclusive as recolhidas durante a primeira diligência da CPI ao município, no começo de julho deste ano. A CPI também definiu a nova data de retorno ao município amazonense, mas permanecerá em sigilo. 

Funcionários

E nesta segunda-feira (26), às 14h30, os funcionários e ex-servidores do Município de Coari (AM) também prestarão esclarecimentos sobre a rede de exploração sexual. Estão convocados a ex-secretária de Ação Social, Maria Lândia Rodrigues dos Santos; ex-secretário de Administração, Adriano Teixeira Salan; ex-assessor do prefeito de Coari, Haroldo Portela de Azevedo; do servidor da prefeitura Anselmo do Nascimento dos Santos; e do servidor da prefeitura Elias Nascimento dos Santos.