quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Dilma criou em um semestre mais empregos que FHC em quatro anos


"No primeiro semestre deste ano, criamos 826 mil empregos com carteira assinada. Significa a quantidade (o total) de empregos criados em todo o primeiro governo (1995-1998) do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Nós criamos em seis meses tudo o que foi criado em quatro anos."

O lembrete foi dado pela presidenta Dilma Rousseff ao afastar o risco de inflação alta e fora da meta do Banco Central (BC), falar da expectativa de um PIB superior ao dos EUA neste 2013 - ainda que ela não tenha arriscado cravar um percentual - e retomar os números do baixo desemprego registrados no país nos últimos 11 anos.

A menção dela à baixa inflação e dentro da meta merece um reforço: é impressionante como oposição e mídia desvirtuam a questão de fundo na discussão da inflação. Não discutem que ela vem caindo há meses, a pergunta com a qual alimentam esse debate é se ela vai "continuar a subir". Como, se está em queda contínua desde meados do 1º semestre e chegou a quase zero?

Era Lula criou empregos como nunca antes nesse país

E por falar em oposição, é bom mesmo recordar, repetir e martelar que nos mandatos de FHC o Brasil perdeu só no 1º ano de seu governo 1 milhão de empregos. Já nós, governos do PT, no 2º ano de gestão (2004), criamos nada menos que 1,8 milhão de vagas com carteira assinada.

Não custa lembrar que na era Lula, criamos empregos como nunca antes nesse país. Nestes nossos 12 anos de condução petista da economia, estamos caminhando para quase 20 milhões de empregos com carteira assinada. Só no 1º semestre desse ano e com toda a crise mundial criamos, como bem lembrou a presidenta Dilma, 826 mil empregos...

São repetições necessárias, perfeitamente válidas, até porque é tudo que o tucanato não quer. Continua a fugir de comparações entre a era tucana e a petista como o diabo foge da cruz...