quarta-feira, 27 de agosto de 2014

No Dia do Psicólogo, José Ricardo defende mais uma vez a importância desse profissional nas escolas no Amazonas.


O deputado José Ricardo Wendling (PT) homenageou nesta quarta-feira (27) todos os psicólogos pelo seu dia, enfatizando a importância desses profissionais em várias áreas da vida humana, principalmente, no ambiente escolar. Mas que, infelizmente, hoje ainda são muito desvalorizados. “São fundamentais no apoio pela busca de uma vida melhor, ajudando a amenizar os problemas e as dificuldades do dia a dia, fazendo com que as pessoas sigam em frente. Por isso, a sua importância na vida de todos”, declarou.

Entendendo a importância desses profissionais nas escolas - uma demanda já sinalizada em fóruns, conferências e congressos de psicologia e de educação, bem como pelo Conselho Nacional de Psicologia e pelas legislações educacionais como parte de equipe multidisciplinar – o parlamentar vem defendendo e cobrando do Governo do Estado prioridade nessa área desde o início do mandato.

Em agosto de 2011, ele apresentou Projeto de Lei para incluir um psicólogo em todas as escolas do Estado (aproximadamente 585), que posteriormente foi transformado em Proposta de Emenda à Constituição (PEC), nº 3/2012, em conjunto com o deputado Luiz Castro (PPS), aprovada e promulgada pela Assembleia Legislativa este ano. José Ricardo também foi autor de emenda ao Projeto do Governo, que previa a realização de concurso público no ano de 2012 para a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), para incluir um psicólogo e um assistente social por escola, proposta rejeitada pela maioria dos deputados, como também foram rejeitadas as emendas propostas em 2013 ao Orçamento do Estado e em 2014, à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). 

“Embora essa PEC já faça parte da Constituição do Estado e esteja como política efetiva do Amazonas, ainda precisamos cobrar do Governo que cada escola tenha, de fato, um psicólogo, principalmente, nos municípios do interior, tendo em vista a alta evasão e violência escolar. Mas falta ainda vontade política para resolver essa questão. Porque esses problemas nas escolas passam por questões psicossociais e econômicas dos alunos, dos pais, dos professores e dos servidores”, explicou o deputado, ressaltando também que esses profissionais serão importantes para a melhoria da qualidade do ensino.

Fonte: Assessoria de Comunicação