sábado, 23 de agosto de 2014

Sinetran quer reajustar a tarifa para R$ 3,60 e José Ricardo estuda medidas judicias para evitar mais um golpe contra a população.


"Os empresários do setor de transporte coletivo de Manaus estão querendo aplicar um golpe na população", afirmou o deputado José Ricardo Wendling (PT). O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) concedeu um reajuste de 7% para os motoristas e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Manaus (SInetran) quer aumentar em 30% a tarifa de ônibus, elevando de R$ 2,75 para R$ 3,60. "Um absurdo"!

Na avaliação do deputado, mesmo considerando o reajuste no lanche de R$ 3,50 para R$ 5,00 e na refeição de R$ 11,00 para R$ 12,10 e os outros benefícios concedidos aos motoristas e cobradores, ainda assim o reajuste seria um absurdo. Junto com Praciano e os vereadores Waldemir José e Bibiano, José Ricardo irá estudar as medidas cabíveis para evitar mais um golpe contra a população, além de chamar a Prefeitura e o Governo para assumirem suas responsabilidades, resolvendo de vez esse problema do transporte coletivo de Manaus.

Ele explicou que as empresas de ônibus já ganham mais de R$ 50 milhões em isenções e subsídios do Governo do Estado e da Prefeitura: são R$ 27 milhões de isenção no diesel do combustível, R$ 12 milhões ao ano de subsídio do Governo, R$ 12 milhões anuais de subsídio da Prefeitura e R$ 5 milhões de isenção do IPVA, sem citar a isenção de PIS e COFINS que o Governo Federal dá às empresas do transporte coletivo e a redução do ISS, da Prefeitura de Manaus. "Com tudo isso, ainda dizem que estão no prejuízo. Essa conta não esta batendo. Vou cobrar mais uma vez o levantamento do custo real da tarifa", declarou José Ricardo.

Fonte: Assessoria de Comunicação