segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Praciano, Braga e Rebecca participam de solenidade da promulgação da PEC da ZFM.


Um feito histórico da administração da presidenta Dilma Rousseff para o Amazonas e uma oportunidade de recuperar o desenvolvimento para o Estado. É assim que o deputado federal, Francisco Praciano, candidato ao Senado pela coligação “Renovação e Experiência” destaca a importância da aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prorroga os incentivos da Zona Franca de Manaus até 2073.

Nesta terça-feira, Praciano, o candidato ao governo Eduardo Braga e sua vice na coligação, Rebecca Garcia, estarão na solenidade especial de promulgação da PEC, uma vez que a atuação dos três foi fundamental para assegurar os incentivos e a manutenção de empregos e investimentos para o Amazonas.

Praciano diz que a vitória da aprovação da PEC é um legado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff para o Amazonas. “Lula nos contemplou com a prorrogação até 2023 e agora Dilma garantiu o modelo por mais 50 anos. Temos agora 59 anos de Zona Franca, fruto do compromisso do governo de Dilma com o Amazonas”, afirmou.

Ele lembrou que a presidente se mobilizou pessoalmente para a aprovação da PEC da ZFM convocando as lideranças com destaque para Eduardo Braga que é o relator da proposta no Senado. “Fui o vice-presidente da Comissão Especial que analisou a PEC e participei de reuniões e audiências, articulando a aprovação com as bancadas dos demais estados e contando com apoio também da deputada Rebecca Garcia”, destaca Praciano, frisando que Ele, Rebecca e Braga foram quem realmente trabalharam em defesa da Zona Franca. “Tem gente ai da oposição que só foi pra Brasília pra aparecer em foto”, diz.

Oportunidade

O parlamentar defende que a aprovação de mais 59 anos para a ZFM é a oportunidade para fazer diferente do que foi feito até agora e desenvolver a economia do Estado com alternativas econômicas que privilegiem os recursos regionais, investimento em pesquisa, em infraestrutura, diminuição do custo e da burocracia na região.

“Precisamos fazer com que a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) seja uma agência de desenvolvimento de fato e não apenas uma instituição de burocracia para liberação de mercadorias. A Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) também precisa criar uma representação em Manaus para facilitar a vida do empresário. Também precisamos trazer uma superintendência da Receita Federal para Manaus pela importância econômica do Estado para a região”.

Ampliar a presença de fiscais da Fazenda e do Ministério da Agricultura no Amazonas são outras propostas do candidato para desburocratizar o desembaraço de produtos em Manaus. Praciano também disse que o modelo deve promover a pesquisa e a produção de tecnologia para que o Estado tenha a sua versão do Vale do Silício – importante centro tecnológico americano.