quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Waldemir quer esclarecimentos sobre processo licitatório do Zona Azul.


Em decorrência da licitação que aprovou apenas uma empresa para operar o ‘Zona Azul’ em Manaus, o vereador Waldemir José (PT) solicitou na manhã desta quarta-feira (20), durante a Sessão Plenária da Câmara Municipal de Manaus (CMM), cópia do processo licitatório e do contrato de concessão entre a Prefeitura e a empresa habilitada. Além disso, o parlamentar solicitará Audiência Pública com os trabalhadores, empresários e o Poder Público para debater a implantação desse projeto.

A publicação do Diário Oficial do Município (DOM) do dia 17 de julho, mostra que apenas uma empresa foi aprovada na fase de habilitação da concorrência pública da Prefeitura para atuar na implantação, operação, controle e gestão do negócio milionário de cobrança de estacionamentos rotativos de veículos em vias e logradouros públicos da área central da cidade.

Waldemir José chamou atenção para o fato de que apenas uma empresa teria as condições necessárias para gerir o Zona Azul. “É de causar estranheza que apenas uma empresa tem competência para executar essa operação. Será que é tão complexo esse serviço, por isso não existem outras empresas qualificadas para operar?”, questionou o parlamentar afirmando que a própria Prefeitura deveria ser a gestora desse projeto, gerando recursos ao município para que sejam aplicados na melhoria da mobilidade urbana.

“Não podemos abrir mão de recursos financeiros no momento em que a sociedade está debatendo melhorias para a falta de mobilidade urbana em Manaus. Para isso é necessário gerar recursos para esse fim. Essa empresa irá arrecadar cerca de R$52 mil por dia que deveriam ser aplicados na construção de calçadas, ciclovias, contratação de fiscais para transporte coletivo, dentre outras medidas que podem contribuir com a mobilidade”, pontuou Waldemir.

Ele concluiu dizendo que a Câmara tem o papel de fiscalizar qualquer contrato de concessão, portanto é de sua função ter acesso aos contratos do Zona Azul e que sua proposta de Audiência Pública nada mais é do que um ato de Democracia.

Fonte: Assessoria de Comunicação