quinta-feira, 3 de abril de 2014

Aécio Never, o candidato da Internet!

Por Frederico Passos
Ah, caros leitores e únicos amigos, estou estupefato, boquiaberto e, por que não dizer, assustado! A turma do PSDB brada para todos os lados que é a favor da democracia, da liberdade de expressão, da ética na administração pública e blá, blá, blá... Mas, vez por outra, acabam sendo pegos em sua mitomania. E isso aconteceu com o Aécio durante esta semana.

Todo o universo sabe que Aécio, quando governador de Minas, detestava críticas ao seu governo. Inclusive mandou fechar um jornal e perseguiu diversos blogueiros. Mas, agora, ele passou dos limites. Sabem o que ele fez? Não?! Vocês não leem as minúsculas matérias dos jornais Folha e Estadão quando criticam seus amigos de poder? Bom, relatarei os fatos.
 
Aécio Never contratou um escritório de advogados para, segundo ele, combater o que ele chama de “quadrilhas virtuais”, que ficam criando páginas e mais páginas na Internet para caluniar e difamar sua vida pública. Trata-se do Opice Blum advogados, que fica em São Paulo e é especializado em direito digital.

Sim, caros leitores, Aécio Never quer censurar a internet! Ah, se fosse a Dilma, o Bonner já tinha gritado para o mundo que estaríamos sob o império do fascismo. Mas, como é o Aécio...! Felizmente o tal escritório sofreu uma acachapante derrota. Segundo a matéria do Estadão, “no mês passado, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou recurso de Aécio em um processo no qual ele pedia para os sites de busca Google, Yahoo e Bing, da Microsoft, retirarem do ar links de páginas com referência a um suposto desvio de R$ 4,3 bi da saúde quando o tucano era governador de Minas. Em dezembro, a corte já havia negado o pedido de liminar para tirar essas notícias da rede.” Segundo a juíza Ana Claudia Guimarães, que negou a liminar em dezembro, "a alegação de que são inúmeros os conteúdos localizados, por si só, não autoriza a drástica medida requerida, potencialmente violadora da garantia constitucional de liberdade de informação".

Agora, o PSDB mobilizou uma equipe em sua sede nacional, em Brasília, para monitorar as redes sociais e identificar na internet a origem de postagens e publicações que denigrem a imagem do presidenciável Aécio Never. Sinceramente, estou extremamente preocupado. Imaginem se os caras descobrem que já escrevi diversas crônicas contra o Aécio Never? O que será de mim?

Não contente com a derrota no TJ de São Paulo, a trupe do Aécio Never entrou com outro processo no mesmo Tribunal, agora para que sejam retiradas do ar postagens em redes sociais que fazem referência ao suposto uso de entorpecentes por Aécio. Sinceramente, eu não sabia que o Aécio usava entorpecentes. Sabia do seu vício em álcool. Só descobri tal vício quando li o livro “A Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro Jr (Geração Editorial). Lá na página 28 tem uma matéria sobre a disputa interna para a campanha presidencial de 2002, quando Serra queria ser o candidato do PSDB. Serra pediu para um articulista do Estadão escrever um artigo contra o seu desafeto no partido. Sabe qual era o título do artigo? Era “Pó para governador!”. Há uma imagem anexa do referido artigo.

Acredito que os blogueiros e a turma das redes sociais deveriam se mobilizar contra esta empreitada do Aécio e do PSDB para censurar a Internet. Isso é ferir a liberdade de expressão. Imagine se, por azar do destino, o Aécio se elege Presidente. Não poderíamos mais criticá-lo, criar charges então, never! Por isso, estou propondo um #ficaaecionainternetou #aecionaoseva ou #aecionaocensura para homenageá-lo.

Como sou uma pessoa democrática e detesto censura, estou compartilhando com vocês, meus assíduos leitores, todos os links que falam mal do Aécio Never antes que ele consiga retirá-los. E foi o próprio Aécio, com seu comportamento de playboy e de mau administrador, que cedeu material para a produção dessas matérias, das charges, dos vídeos e das músicas etc. Seguem anexos algumas charges do presidenciável, inclusive uma música de autoria do grande filósofo da vida, Falcão, que homenageou o candidato quando este foi pego na blitz da Lei Seca no Rio de Janeiro, lembram?