domingo, 22 de dezembro de 2013

CRITÉRIO PARA ESCOLHA DE REITOR DESAGRADA COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA


A regulamentação da eleição para reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) pelo Conselho Universitário deixou o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais do Amazonas (Sispeam), Edvaldo Grangeiro, insatisfeito por duas decisões que, diz ele, são antidemocráticas.

Na opinião de Grangeiro, o Conselho Universitário, ao decidir que só poderá ser reitor da UEA quem for titulado nos graus de mestre ou doutor e ao dar pesos diferenciados aos três segmentos que compõem o colégio eleitoral, sendo 70% para os docentes, 20% para os alunos e 10% para os técnicos administrativos, o presidente afirma que o Sisteam “se manifesta repudiando tal gesto antidemocrático, onde a UEA joga na lama este momento histórico”.

Em nota distribuída pelo Sisteam, o presidente Edvaldo Grangeiro afirma que “o poder de decisão [ficou] nas mãos de um único segmento, onde o conteúdo democrático concreto ficou esvaziado, pois apesar de todos poderem votar, não tem o poder de eleger.”

O sindicalista diz ainda que o Sisteam recebeu tal regulamentação com espanto e que a normativa não se harmoniza com o espírito que norteou a criação da UEA.