quarta-feira, 2 de abril de 2014

Graça Figueiredo é eleita presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

 desembargadora Maria das Graça Figueiredo concorreu para todos os cargos em disputa

A desembargadora Maria das Graças Pessôa Figueiredo foi eleita presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), para o biênio 2014/2016, por sete votos na sessão do Tribunal Pleno desta terça-feira (1º), no Plenário Desembargador Ataliba David Antônio, no térreo do edifício Arnoldo Péres, bairro do Aleixo, zona centro-sul de Manaus. 

Aristóteles Thury e Flávio Pascarelli assumirão os cargos de vice-presidente e corregedor-geral, respectivamente. A posse está prevista para o dia 4 de julho. A sequência de votação aconteceu para presidência; vice-presidência e, por último, Corregedoria.

A desembargadora foi a única que concorreu para todos os cargos em disputa. Graça Figueiredo, Domingos Chalub e Yedo Simões concorreram à vaga para presidente da Corte. Graça Figueiredo obteve sete dos 19 votos. O desembargador Yedo Simões de Oliveira obteve seis votos, mesma votação do desembargador Domingos Jorge Chalub Pereira. 

Aristóteles Thury e Encarnação das Graças Sampaio Salgado estavam na disputa para a vaga de vice-presidente junto com Graça, enquanto o cargo de corregedor foi disputado por Graça Figueiredo, Flávio Pascarelli e Paulo Lima.

A desembargadora é a segunda mulher a ocupar o posto máximo do Judiciário amazonense. "Agradeço a Deus sempre. Peço a meus colegas desembargadores que possamos trabalhar com a certeza de um novo biênio", disse Graça Figueiredo após a eleição. "Que a nossa meta seja sempre a busca da Justiça e somente a Justiça".

Graça também falou que seus objetivos como nova presidente: " Minha meta junto com meus colegas desembargadores é de acelerar os processos que tramitam hoje no tribunal para sanar a morosidade que há atualmente. É imprescindível que haja comunicação para que haja êxito", afirmou ela. 

De acordo com o Thury o trabalho, juntamente com a nova presidente, será feito com para melhoria dos trabalhos jurisdicionais: " O Tribunal de Justiça já evoluiu bastante com a informatização dos processos, por isso o meu trabalho agora será de auxílio com a Presidente para que possamos realizar melhoria em trabalho jurisdicionais para cumprir as metas do conselho nacional de Justiça (CNJ) " falou.

O novo corregedor do Flávio Pascarelli , explicou que a lentidão na justiça é um fato histórico que ocorre não somente no Amazonas: "Se você pesquisar, em todo o mundo existem pedidos de reforma processual por causa da morosidade presente nos processos, no entanto podemos amenizar a nossa situação dialogando com os juízes como fizemos no Tribunal Eleitoral" disse o atual presidente Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM).

Pascarelli ainda falou sobre a dificuldade cumprir as metas exigidas pelo CNJ: " A cobrança do conselho é constante, por isso cabe a corregedoria fazer o acompanhamento dos juízes, mas esses as metas são difíceis de atingir. Por exemplo uma das dificuldades são a falta de juízes no interior, além disso temos juízes que representam mais de uma comarca em interiores e ainda possuem trabalho na vara da capital. o que torna quase impossível o trabalho de excelência".

Fonte: http://www.d24am.com/noticias/politica/graca-figueiredo-e-eleita-presidente-do-tribunal-de-justica-do-amazonas/109353