sexta-feira, 6 de junho de 2014

“Pauini: exemplo do abandono”, diz José Ricardo.


Em mais uma visita ao Município de Pauini (a 923 quilômetros de Manaus), o deputado José Ricardo Wendling (PT) afirmou que a situação piorou e que a cidade está abandonada. Na saúde, após várias cobranças de moradores e de lideranças locais, novo hospital foi inaugurado, mas ainda não funcionando; na segurança, poucos policiais e sérios problemas com viaturas e equipamentos; na educação, faltam escolas na área rural; e com relação aos problemas municipais, o caos é maior: falta água tratada na cidade, como ainda coleta de lixo e manutenção das ruas. “Pauini foi abandonada pelo Governo do Estado e parece não ter prefeito. Estou cobrando providências urgentes”.

O novo Hospital de Pauini, que passou 12 anos em construção, foi inaugurado recentemente, mas sem previsão de funcionamento. “Logo após a cerimônia de inauguração, já encontrei o hospital com cadeado no portão. E a informação que tive é que ainda não há previsão para seu funcionamento e que faltarão funcionários e até médicos para atender a população com qualidade. Enquanto isso, o povo continua sendo atendido num hospital antigo, da década de 70, com estrutura precária e inadequada”, comentou ele, ressaltando que havia ingressado, em 2013, com representação no Ministério Público do Estado (MPE) por conta das obras inacabadas desse hospital.

A Escola Estadual Frei Mário estava sem aulas por falta de uma estrutura de abastecimento de água, prejudicando muitos estudantes. “E os prejuízos não param por aí. Faltam escolas na área rural do Município. Falta prioridade na educação”.

O deputado esteve também na delegacia, onde constatou a falta de escrivão, de investigadores, de pessoal de serviços gerais e de funcionários para o preparo da refeição dos presos, além de estrutura física precária. “E os PMs padecem com pouco efetivo (apenas nove), com falta de aparelho de comunicação e de viaturas. Como prestar um serviço de qualidade nessas condições?”, questionou o parlamentar.

E um dos problemas mais graves: falta água tratada na cidade, bem como rede de esgoto. José Ricardo contou que existem três estruturas públicas para a distribuição de água, mas todas abandonadas. “Tem até caixa d’água que estaria distribuindo água vinda de igarapé contaminado. E o povo se vira como pode, fazendo interligações entre vizinhos para garantir um serviço básico ao cidadão. Isso sem falar que a cidade está cheia de lixos e de buracos. O exemplo do abandono”, declarou ele, que presenciou protesto de alguns moradores quando da visita do governador no local, mas sugeriu que todas essas situações sejam levadas ao conhecimento do MPE.