quinta-feira, 28 de março de 2013

José Ricardo cobra do Governo do Estado pagamento do piso nacional para os professores


O deputado José Ricardo Wendling (PT) denunciou nesta quarta-feira (27) que o Governo do Estado não paga o piso nacional aos professores da rede estadual de ensino, com base em documentos da coordenação do Fundeb (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), em reportagem da Revista Educação (março/2013), em publicações oficiais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e nos próprios contracheques dos profissionais da educação.

O piso nacional dos professores, definido por lei, é de R$ 1.567 para 40 horas/aulas e de R$ 783,50 para 20h. No Amazonas, são 527 professores, de nível médio, que ganham R$ 706 para 20h. “Não fizemos levantamentos quanto à situação dos professores dos municípios do Estado. Mas a Associação dos Municípios já divulgou que não tem condições financeiras de arcar com o pagamento do piso mínimo. Cobro do Governo o que está previsto em lei e por ser um direito dos trabalhadores”, declarou.

O parlamentar defendeu a proposta do Sindicato e do Movimento de professores para o reajuste de 15% aos educadores, quando apresentou emenda ao Projeto de Lei Orçamentária que destinava recursos para o reajuste salarial e pagamento da Hora de Trabalho Pedagógica (HTP), mas que foi derrubada pela base aliada do Governo. “Mesmo assim, encaminhei Indicação ao governador reforçando a necessidade desse reajuste”.

José Ricardo apoia o movimento dos professores do Estado, que luta por reajuste salarial justo, plano de saúde, auxílio-alimentação, vale-transporte e cumprimento da HTP, dentre outras. Na manhã desta quarta, os professores estiveram na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) solicitando espaço no plenário para se manifestarem. Porém, não foram atendidos, sendo convidados a participar de uma reunião entre a comissão dos professores e deputados membros da Comissão de Educação na Casa, o líder do Governo, Sinésio Campos, e o deputado José Ricardo.

Para o deputado, é um absurdo o Governo do Estado negar-se a priorizar a educação. “O Amazonas está entre os piores, no quesito qualidade de ensino. E isso passa pela valorização do profissional, seja por um salário mais justo ou por plano de saúde, vale-transporte e alimentação”.

Fonte: Assessoria de Comunicação