quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Polícia Federal apreende R$ 172 mil que seriam usados para comprar votos no interior do Amazoans

Trabalho de fiscalizar aeroportos durante eleições acontece em todo Brasil

Aeroportos, portos e estradas federais estão sendo fiscalizados pela PF com objetivo de coibir crimes como corrupção eleitoral, compra de votos e transporte de eleitores.

Em quatro dias de fiscalização contra crimes de corrupção eleitoral e compra de votos no Amazonas, a Polícia Federal apreendeu o montante de R$ 172 mil em aeroportos no interior e na capital. Entre os detidos, que não tiveram a identidade revelada, está um vereador do município de Tonantins (distante 872 quilômetros de Manaus) e uma mulher suspeita de portar R$ 160 mil para a prática ilegal. As informações foram divulgadas terça-feira (30) pelo Superintendente Regional da PF, Marcelo Rezende, e pelo coordenador da organização eleitoral no Estado, delegado Fábio Pessoa.

Aeroportos, portos e estradas federais serão os locais onde a PF deve atuar para coibir crimes como corrupção eleitoral, compra de votos e transporte de eleitores. Segundo o superintendente regional da PF, Marcelo Rezende, o efetivo será intensificado até o dia da votação, marcada para o próximo domingo (5). “O nosso objetivo é controlar esse fluxo em alguns municípios estratégicos e montar um efetivo maior na capital. Infelizmente é uma prática muito comum no Brasil e no Amazonas escolhemos fiscalizar meios aéreos e fluviais por conta desse deslocamento”, informou.

Ainda segundo Rezende, os municípios de Manaus, Tabatinga, Tefé, Coari, Manacapuru, Parintins, Itacoatiara, Santo Antônio do Içá e São Gabriel da Cachoeira serão monitorados por possuírem histórico relativo à prática. Na capital, por exemplo, a polícia apreendeu nesta segunda-feira (29) um político de Tonantins que tentava transportar a quantia de R$ 12 mil para comprar eleitores no município. O delegado responsável pelas investigações, Fábio Pessoa, contou como o crime foi constatado.

“O voo sairia de Manaus para Tabatinga e de lá ele pegaria uma embarcação para Tonantins. Ele confessou o crime e no local deflagramos o auto de prisão em flagrante, entretanto, ele acabou pagando fiança de R$ 5 mil e sendo liberado”, contou. O superintendente regional, Marcelo Rezende, explicou que crimes eleitorais ainda são considerados de menor potencial ofensivo. “Nosso papel é investigar o fato e não determinado candidato, porém, não podemos deixar que essa prática influencie na escolha do voto da população”, disse.

Outro caso registrado no último sábado (27) diz respeito a uma mulher com R$ 160 mil no Aeroporto Júlio Belém, no município de Parintins (distante 369 quilômetros da capital). Na ocasião, a suspeita negou o crime e contou que usaria o dinheiro para a aquisição de um imóvel. O dinheiro foi levado ao Juízo Eleitoral de Parintins e um inquérito foi instaurado.

Eleições

No domingo, todo o efetivo da PF ficará voltado para o andamento do pleito em Manaus e no interior. Segundo Pessoa, apesar de em alguns locais essa quantidade ser ineficiente em todos os municípios, ele afirma que outras esferas irão fornecer auxílio. “Nosso efetivo não pode ser divulgado, porém 100% dele estará presente nas ruas. Além disso, as polícias Civil e Militar atuarão no combate à boca de urna”.

Denúncias também podem ser feitas pelo número 3655-1515. Possíveis ocorrências serão encaminhadas para Juizados Especiais Eleitorais no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), em Manaus.

Fonte: http://acritica.uol.com.br/noticias/Policia-Federal-apreende-interior-Amazonas_0_1221477887.html