sábado, 4 de outubro de 2014

No início do “Outubro Rosa”, José Ricardo cobra o funcionamento dos mamógrafos abandonados pelos hospitais do interior do AM


Neste mês de outubro, acontece a Campanha “Outubro Rosa”, de prevenção e conscientização ao câncer de mama, uma doença que mata milhares de mulheres no Amazonas. O deputado José Ricardo Wendling apoia esta Campanha, afirmando ser fundamental a parceira do Governo do Estado para melhorar as políticas públicas para as mulheres, principalmente, no atendimento à saúde. “Em vez de gastar milhões em campanhas publicitárias de autopromoção, o governador deveria priorizar a saúde da mulher e a efetivação dos instrumentos necessários para a prevenção do câncer de mama”, declarou.

Ele ressaltou que a presidenta Dilma esteve em Manaus no ano de 2011, quando do lançamento da Campanha Nacional contra o Câncer de Mama. O Amazonas aparece com a maior incidência de casos, em termos proporcionais aos outros estados brasileiros. Na ocasião, Dilma liberou recursos para a compra de mamógrafos para os hospitais do Estado. “Mas, ao longo desses três anos, já flagrei esse importante e caro equipamento que deveria salvar vidas, jogado nos cantos das salas dos hospitais, sem o menor cuidado e sem previsão para a sua instalação e o seu funcionamento, como foi o caso do Careiro Castanho, recentemente. É dinheiro público. Uma situação desumana e quase criminosa comprar equipamento para evitar mortes, mas que não funciona. Enquanto isso, muitas mulheres padecem necessitando desse exame especializado. Estamos cobrando providências do Estado”.

De acordo com o parlamentar, esse hospital do Careiro Castanho, inclusive, foi alvo de denúncia que fez ao Ministério Público do Estado (MPE), diante da situação lastimável em que encontrou a unidade de saúde. “Um hotel adaptado como hospital, com falta de funcionários do Estado, já que o último concurso feito foi em 2005, com inúmeros problemas estruturais e com falta até de médicos”, disse José Ricardo, enfatizando que fiscalizou hospitais em todos os 61 municípios do interior visitados ao longo deste mandato. “Faço esse trabalho porque somos pagos também para fiscalizar o executivo. E fomos eleitos para representar o povo do Estado”, finalizou.

Fonte: Assessoria de Comunicação