terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Waldemir reitera pedido de criação de uma comissão para tratar o preço justo da tarifa de ônibus


Diante do comunicado do prefeito a respeito do aumento da tarifa de ônibus previsto para os próximos dias, o vereador Waldemir José (PT) anunciou nesta segunda-feira (1), que irá reiterar o pedido de criação da comissão paritária, proposta feita pelo parlamentar em 2012 e assegurada pelo Prefeito Artur Neto (PSDB) durante a Mensagem do Executivo à Câmara Municipal de Manaus de 2013. 

De acordo com o parlamentar, o reajuste anual da tarifa de transporte virou uma obrigação, sem levar em consideração os péssimos serviços prestados pelas empresas de ônibus. “Criou-se um mito acerca da tarifa do transporte de que todos os anos elas tem que aumentar sem nenhum critério ou parâmetro. Todos os anos acontece o mesmo teatro; para pressionar o reajuste da tarifa o Sinetran provoca uma greve, daí o Prefeito cede dizendo que é inevitável”, disse Waldemir José. 

Ele chamou atenção para as contas das empresas que não são transparentes e a Prefeitura não fiscaliza a atuação das empresas e nem suas planilhas. “As empresas fazem o que querem. Na fiscalização que fiz nas estações, dos 167 ônibus fiscalizados todos eram velhos e precários, ou seja, a frota não é renovada como determina o contrato e, mesmo assim, a Prefeitura quer premiar as empresas com aumento da passagem”, afirmou Waldemir. 

Além disso, as empresas, segundo o petista, já recebem uma “mesada” de R$2 milhões de reais mensal e alegam não ser o suficiente para manter o sistema de transporte. “Quero observar essas planilhas para saber se de fato é necessário esse reajuste, pois é de se estranhar que o prefeito não queira criar essa comissão para verificar se o preço praticado em Manaus é justo. Por isso vou reiterar para o prefeito a criação dessa comissão. Não se pode reajustar um preço às escuras. É preciso sabermos se de fato há necessidade ou não”, concluiu Waldemir.