quarta-feira, 3 de julho de 2013

José Ricardo defende a ampliação de médicos no Brasil e melhor distribuição desses profissionais para atuar, inclusive, no interior do AM

O deputado José Ricardo Wendling (PT) concorda com a proposta do Governo Federal em ampliar a quantidade de médicos para o Brasil e melhorar a sua distribuição entre os estados do País. Uma das propostas apresentadas pela presidenta Dilma no Pacto Nacional, para suprir as deficiências do Sistema Único de Saúde (SUS), seria a contratação, se necessário, até de médicos estrangeiros. “O Brasil tem déficit de médicos pela má distribuição desses profissionais, que estão concentrados nas capitais, deixando o interior do País em situações emergenciais”.

Para ele, os hospitais estaduais do interior do Amazonas, por exemplo, não têm condições mínimas de estrutura e de recursos humanos para prestar um serviço de qualidade. “Além de faltar médicos de várias especialidades, falta ainda equipe de apoio, além de problemas estruturais, porque o Estado não prioriza a saúde. Defendo que esses profissionais deveriam ter plano de cargos e carreiras para trabalhar com dignidade e segurança pelos diversos municípios amazonenses”, sugeriu.

De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), com base na Pesquisa Demográfica Médica no Brasil/2013, o Brasil tem dois médicos para cada 1 mil habitantes. Já comparando com os médicos cadastrados no SUS, esse número reduz em 50%, ficando 1,11 para cada 1 mil habitantes. “É necessária uma política nacional para atrair os médicos para o SUS e para os municípios mais distantes do País”.