quinta-feira, 18 de julho de 2013

Waldemir reúne com lideranças do Movimento Passe Livre Manaus

Com o objetivo de demonstrar apoio à instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que pretende investigar as planilhas de custo do sistema de transporte público da cidade de Manaus, lideranças do Movimento Passe Livre Manaus (MPL) reuniram-se com o autor da proposta, vereador Waldemir José (PT) na manhã desta quinta-feira (18). Em seguida, as lideranças foram encaminhadas pelo parlamentar para uma conversa com o presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM) vereador Bosco Saraiva (PSDB).

De acordo com coordenador do MPL, Sandro Marandueira, uma das metas do movimento é contribuir com a conscientização popular sobre a importância da instauração da CPI para a luta pelo passe livre na cidade. “Nessa reunião iniciamos um diálogo com parlamento municipal para entendermos as ações dessa Casa Legislativa em relação à busca pela melhoria do transporte em Manaus. Acreditamos que, por intermédio do movimento, podemos contribuir para implantação dessa investigação”, comentou Sandro.

Para Waldemir José, o apoio do MPL é um importante instrumento para implantação da CPI, uma vez que, é um grande movimento que demonstrou força politica em todo o país. “As manifestações realizadas no mês passado, mostraram a grande foça desse movimento. Penso que ele é um importante aliado para o fortalecimento da democracia no Brasil”, disse o parlamentar.

Waldemir lembrou, ainda, que a luta pela instalação da CPI é árdua, visto que, em 2011 conseguiu as assinaturas necessárias para instalação da CPI do transporte naquela ocasião, mas, mesmo assim, não foi implantada. “Nós, parlamentares do PT – deputado Federal Francisco Praciano, deputado federal José Ricardo e, também, a vereadora Rosi Matos e o vereador Bibiano Garcia - estamos lutando há mais de 10 anos por um sistema de transporte de qualidade, mas quando chega na Justiça os processos ficam parados sem julgamento”, declarou o petista.

Nesta linha, Marandueira afirmou que o Poder Judiciário também será cobrado pelo movimento para que as ações ligadas ao transporte público sejam julgadas e encaminhadas. Ele disse, ainda, que o movimento continuará acampado em frente à Câmara até que os vereadores se sensibilizem pela aprovação e instauração da CPI.