sábado, 14 de junho de 2014

Drogba sai do banco, muda o jogo, e Costa do Marfim bate Japão de virada.


Didier Drogba é o maior nome da história do futebol da Costa do Marfim. Por isso, quando foi anunciado que ele ficaria no banco contra o Japão neste sábado, quase ninguém entendeu. O que todos entenderam é que a simples presença do atacante de 36 anos em campo mudou um jogo de Copa em seis minutos. Quando saiu do banco, aos 15 minutos do 2° tempo, os japoneses venciam. Seis minutos depois, a Costa do Marfim já havia virado. E assim foi: 2 a 1 para os africanos sobre os asiáticos.

É a primeira vez em três participações que a Costa do Marfim vence sua estreia em um Mundial. Era tudo que Yaya Touré e Drogba, astros de uma geração que nunca conquistou um título, queriam. No Grupo C, os africanos têm reais chances de passar de fase. Resta saber se Drogba continuará sendo um elemento surpresa, ou se Grécia e Colômbia prestarão mais atenção no astro do que os japoneses.

As fases do jogo: Nenhum jogo da Copa até aqui teve duas fases tão distintas mais claras: com Drogba em campo, sem Drogba em campo. Com ele sentado, Japão dominante, Costa do Marfim perdida em campo. Quem não pensou na "ingenuidade africana" enquanto isso? Nem Yaya Touré conseguia mostrar qualidade. O gol de Honda, aos 16 minutos de jogo, poderia ser o primeiro de alguns se Barry não salvasse os africanos.

Com ele em campo, pressão da Costa do Marfim, mesmo quando já estava à frente do placar. E sempre com a bola passando pelos pés de Drogba. Bony aproveitou cruzamento aos 19 minutos, Gervinho aos 21 minutos. Virada construída e estreia positiva aos time laranja.

O melhor: Drogba - Em seu primeiro toque na bola, passe de calcanhar para Gervinho errar chute livre. No segundo minuto em campo, gol. No sexto, virada. Toda vez que pegou na bola, pandemônio na zaga japonesa. Nem precisou marcar para ser o melhor em campo.

O pior: Kagawa - Jogador do Manchester United, o meia japonês fez em sua estreia na Copa o mesmo que em toda a temporada na Inglaterra: pouco apareceu. O ataque do Japão ficou nos pés de Honda que, sozinho, até conseguiu um gol, mas ficou sobrecarregado.

A chave do jogo: Foi só a Costa do Marfim calibrar o pé (ou a cabeça) nas finalizações que os gols saíram. O time produzia na base da "bagunça" e com chutes tortos até Drogba entrar.

O toque dos técnicos: Se Didier Drogba ficou no banco por alguma lesão sofrida, esta foi muito bem escondida. Porque a opção do técnico Sabri Lamouchi de deixar o astro na reserva, se foi por questão técnica, se mostrou completamente equivocada em um primeiro momento. O ataque da Costa do Marfim nada produziu de qualidade - ou, quando acertava, pecava em finalizações horríveis - sem ele em campo. Aos 15 min. do 2° tempo, com o Japão cansado, finalmente Drogba entrou. Em seis minutos, veio a virada.

A torcida: No estádio, torcedores fantasiados foram destaque. Os japoneses se superaram na originalidade e cada flagra da televisão mostrava um com fantasia melhor que o outro. Algumas roupas eram até inexplicáveis de tão alternativas.

COSTA DO MARFIM 2 X 1 JAPÃO

Data: 14 de junho de 2014
Horário: 22h00 (de Brasília)
Local: Arena Pernambuco, em Recife (PE)
Árbitro: Enrique Osses (CHI)
Assistentes: Sergio Roman (CHI) e Carlos Astroza (CHI)
Cartões amarelos: Toshida, aos 22 min. do 1°t, Morishige, aos 18 min. do 2°t (Japão); Bamba, aos 9 min., Zokora, aos 12 min. do 2°t (Costa do Marfim)
Gols: Honda, aos 16 min. do 1°t (Japão); Bony, aos 19 min., Gervinho, aos 21 min. do 2°t (Costa do Marfim)

COSTA DO MARFIM: Barry; Boka (Djakpa, aos 28 min. do 2°t), Bamba, Zokora e Aurier; Tioté, Bony (Ya Konan, aos 31 min. do 2°t), Yaya Touré e Serei Die (Drogba, aos 15 min. do 2°t); Gervinho e Kalou
Técnico: Sabri Lamouchi

JAPÃO: Kawashima; Uchida, Morishige, Yoshida e Nagatomo; Hasebe (Endo,aos 7 min. do 2°t), Yamaguchi, Honda e Kagawa (Kakitani, aos 40 min. do 2°t); Osako (Okubo, aos 22 min. do 2°t) e Okazaki
Técnico: Alberto Zaccheroni

Fonte: http://copadomundo.uol.com.br/