quarta-feira, 9 de abril de 2014

Ex-presidente petista pede Constituinte. Congresso não fará reforma política, diz ele


A despeito de o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), ter anunciado estar determinado a colocar no mês que vem, em votação na Casa uma reforma política – há várias propostas elaboradas e ele não informou qual colocará a exame do plenário – o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reiterou sua proposta para deliberação dessa questão: a convocação de uma Assembleia nacional Constituinte exclusiva.

“Esse Congresso não fará a reforma política”, justificou o ex-presidente da República. Por isso, na entrevista terça-feira (8), no Instituto Lula, em São Paulo, a um grupo de blogueiros progressistas e independentes, ele defendeu a convocação dessa Constituinte exclusiva para fazer a Reforma Política, que já havia proposto antes. “Sou totalmente favorável a uma Constituinte exclusiva para fazer uma reforma política”, disse Lula.

O ex-presidente ponderou que os atuais deputados e senadores que compõem o Congresso Nacional – esta legislatura vai até o início de fevereiro de 2015, quando se inicia a outra, com os parlamentares eleitos no dia 5 de outubro próximo – estão acostumados com o sistema político vigente e não vão mudas as regras. “Mas nós precisamos da reforma política, que é a principal causa que temos que defender neste momento”, insistiu o ex-presidente.