quarta-feira, 9 de abril de 2014

Protesto cobra instalação de CPI da Pedofilia no Amazonas

Protesto ocorrem em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)

Integrantes de diversos movimentos socais se concentraram em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), na manhã desta quarta-feira (9), para cobrar agilidade na instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia da Aleam no Amazonas. Na terça (8), a criação da CPI foi adiada devido a divergências entre os deputados quanto a data, abrangência e composição da comissão. A assessoria de comunicação da Casa informou que a instalação da CPI será definida nesta quarta-feira (9).

Segundo Florismar Ferreira, da coordenação do Fórum Permanente de Mulheres de Manaus, ao menos cinco movimentos sociais aderiram ao protesto nesta manhã. Ele afirmou que o grupo, de cerca de 20 pessoas, deve permanecer em frente à Assembleia até obter uma resposta. "O movimento acompanha, desde a semana passada, o processo de instauração da CPI. Eles estão adiando para nos cansar, mas não vamos desistir. A Justiça tem que ser feita, e para isso é preciso investigação e punir os culpados", disse Ferreira.

Durante o ato, os manifestantes carregavam faixas com mensagens cobrando a instauração da CPI. Para Alberto Jorge Silva, de 53 anos, a CPI é representa uma resposta às pressões da sociedade civil. "Estivemos ontem na assembleia, mas houve perda de tempo. Queremos que todos entendam a necessidade dessa CPI. Vamos ficar na frente da assembleia", disse.

Manifestantes carregavam faixas com mensagens cobrando a instauração da CPI (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)

"Os deputados não estão levando à sério e estão adiado a CPI. Estamos aguardando uma satisfação. Vamos seguir fazendo pressão, porque o movimento social não pode ficar calado. Não é possível continuarmos vendo essa corrupção", disse o manifestante Mário Ypiranga.

De acordo com a Aleam, a instalação da CPI será definida nesta quarta (9), com a participação das lideranças partidárias e de blocos da Casa. A decisão foi adotada em reunião realizada no fim da manhã de terça, para definir as três questões centrais do processo: o momento da instalação, a composição e a abrangência das investigações. A reunião começou com 16 deputados e terminou com 14, ficando, portanto, dez deputados sem participar.

Se a instalação da CPI for aprovada pelos 24 deputados, o consenso precisa ser repetido na definição das três questões pontuais, a fim de que não paire nenhuma dúvida sobre a comissão.

Fonte: http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2014/04/protesto-cobra-instalacao-de-cpi-da-pedofilia-no-amazonas.html