sexta-feira, 13 de junho de 2014

Chile leva susto, mas vence a Austrália por 3 a 1 na Arena Pantanal.

Chile leva susto, mas vence a Austrália por 3 a 1 na Arena Pantanal WILLIAM WEST/AFP

O que parecia fácil, tornou-se uma missão encardida para o Chile. O time de Jorge Sampaoli abriu 2 a 0 em 15 minutos de jogo contra a Austrália, na Arena Pantanal, e dava a impressão de que venceria fácil. Os australianos diminuíram ainda no primeiro tempo e tiveram chances de empatar. Entretanto, um gol no final do jogo garantiu a vantagem chilena.

O jogo começou fácil para o Chile, que mantinha a posse de bola e empurrava os australianos para seu campo. Com passes rápidos entre o quarteto ofensivo — Vidal, Valdivia, Sanchez e Vargas —, o gol não tardou a sair. 

Aos 12 minutos, Aránguiz tabelou dentro da área com Sanchez, se desvencilhou do goleiro e cruzou. Vidal dividiu de cabeça com o marcador e, na sobra, Sanchez dominou e mandou para as redes.

Não deu nem tempo de respirar. Dois minutos depois, Sanchez recebeu de Isla, deu um lindo drible de corpo em Milligan e achou Valdivia na meia-lua da grande área. O jogador do Palmeiras chutou alto, sem chances para o goleiro Ryan. Parecia que seria goleada, mas o jogo perdeu ritmo. 

Aos 35, a Austrália conseguiu diminuir. Franjic recuperou a bola na direita, tabelou com Leckie e cruzou da linha de fundo. O centroavante Tim Cahill subiu mais que Medel e cabeceou para o fundo das redes de Bravo.

Logo aos 4 minutos do segundo tempo, o treinador da Austrália teve de trocar o lateral-direito Franjic, lesionado, por McGowan. Aos 7, Cahill marcou em mais um testaço. Porém, a arbitragem viu que ele estava adiantado no momento do cruzamento vindo da direita. Aos 10, Bravo salvou o empate após chute de primeira de Bresciano depois de um cruzamento da esquerda na área chilena.

Até então de atuação apagada na partida, o ex-gremista Eduardo Vargas quase fez o terceiro do Chile aos 15. Ele recebeu belo passe na grande área e tocou na saída do goleiro. O zagueiro Wilkinson conseguiu tirar em cima da linha.

O restante do jogo foi de muita vontade e pouca inspiração. A Austrália tentou o empate na pressão, mas faltou um jogador para decidir. Enquanto isso, o Chile esperou e tocou a bola, até os 46, quando Beausejour pegou o rebote do goleiro e soltou a bomba no canto esquerdo para definir o 3 a 1.