segunda-feira, 8 de maio de 2017

Em Congresso Estadual, PT lança José Ricardo candidato a governador do Amazonas na eleição deste ano e elege nova direção


O Partido dos Trabalhadores (PT) encerrou ontem (7) seu Congresso Estadual, onde participaram durante dois dias 293 dos 300 delegados e delegadas escolhidos durante o Processo de Eleição Direta (PED), no mês de abril. Como resultado da convenção, que aconteceu no auditório da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), foram escolhidos 15 delegados e delegadas que participarão do Congresso Nacional do Partido, em junho, além de elegeram o deputado Sinésio Campos como presidente Estadual da sigla.

A novidade do encontro foi a escolha do nome do deputado José Ricardo Wendling como candidato a governador do Amazonas na eleição deste ano e o nome de Francisco Praciano, como candidato ao Senado nas eleições de 2018.

Também foi decidido o número de filiados e filiadas que fará parte da Direção Executiva Estadual do PT, de acordo com as chapas inscritas. Isso acontece porque a eleição é democrática, direta e cada chapa tem direito a um determinado percentual na direção do Partido, proporcional ao número de votos que teve no PED.

Segue a divisão do Direção Estadual por chapas: “Mensagem do Amazonas – Muda PT” (com o deputado José Ricardo e o ex-vereador Waldemir José) ficou com três membros da direção do Partido e mais a liderança do PT na Assembleia; “Muda Partido” (com o ex-deputado federal Praciano), com um membro; “Partido é para todos” (com o deputado Sinésio), cinco membros e mais o presidente estadual; “Compromisso com o povo – Avança CNB” (com Gilza Batista e ex-senador João Pedro), com dois membros; e “Avança Manaus” (com Valdemir Santana e a presidente eleita do PT Municipal, Odimar Guimarães), com três membros no Diretório Estadual.

Para o deputado José Ricardo, o Partido concluiu mais uma etapa do processo democrático para a escolha dos seus dirigentes e membros, onde todos os filiados e filiadas participam. “Um processo que não tem perdedores. Ganha a democracia e o Partido”, declarou.

Sobre a decisão do PT de escolher seu nome para a disputa ao Governo do Estado, o parlamentar enfatizou que sempre defendeu candidaturas próprias do Partido nas eleições do Amazonas e afirmou estar preparado para mais uma campanha majoritária. Ele destacou que irá defender eleições diretas no Amazonas, com a participação de toda a população, já que muitos deputados da Aleam estão prometendo lutar na Justiça por eleições indiretas, para que eles mesmos escolham o futuro governador do Estado.

“Iremos construir um plano de governo que possa ser debatido com as todas forças políticas do PT, juntamente com a sociedade, assim como fizemos nas últimas eleições municipais. Vemos um Estado abandonado, principalmente, nas áreas da educação, da saúde e da segurança. Por isso, temos que apresentar propostas para mudar esse lamentável quadro de exclusão social que vive tanto Manaus quanto os municípios do interior do Amazonas”, enfatizou José Ricardo.

Aprovado no Congresso

Também foi aprovado no Congresso Moção de Pesar pelo falecimento do médico, pesquisador e dirigente do PCdoB, Antônio Levino; além da Resolução indicando o nome de José Ricardo como candidato a governador.

O 6º Congresso

Nos dias 1º, 2 e 3 de junho, o Partido dos Trabalhadores vai realizar o 6º Congresso Nacional do PT, que levará o nome de Marisa Letícia Lula da Silva, em homenagem a ex-primeira-dama. Esse vai se somar aos outros que foram decisivos para apontar caminhos, propor políticas públicas e transformar o partido de esquerda mais importante da América Latina, além de eleger o presidente Nacional da silga.

No 6º Congresso Nacional participarão, sem direito a voto mas com direito a voz, membros do Diretório Nacional, deputados e deputadas federais, senadores e senadoras, governadores e 10% de representantes da sociedade civil e dos movimentos sociais convidados pela Comissão Executiva Nacional.

Além deles, participam delegados e delegadas, escolhidos por meio do Processo de Eleições Diretas, eleitos pelo voto direto dos filiados e filiadas. Este ano, serão 600 delegadas e delegados, observando a paridade de gênero e as cotas étnicos-raciais e de juventude.

Fonte: Assessoria de Comunicação.