quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

José Ricardo não usou “Bolsa Universidade” da Aleam e reduziu o gasto com Verba Indenizatória: uma economia de R$1 milhão

A imagem pode conter: 1 pessoa

Após cobrar transparência da Presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) na aplicação dos recursos públicos, o deputado estadual José Ricardo Wendling (PT) prestou contas da economia de seu mandato nesses seis anos de trabalho na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), com o não uso da "Bolsa de Universidade" e a utilização equilibrada da Verba Indenizatória, concedida a todos os parlamentares para despesas como material expediente, aluguel de carros, escritório.

Ao abrir mão da "Bolsa" para seus assessores, José Ricardo economizou cerca de R$500 mil de 2011 a 2016. No dia 12 de novembro de 2015, o deputado apresentou Projeto de Resolução nº 42/2015 para extinção deste benefício, visto que, naquele momento, o então, presidente da Casa Legislativa, deputado Josué Neto estava adotando medidas para redução de custos devido a crise econômica nacional.

"Protocolei um Projeto para pôr fim a esta Bolsa, porém, até hoje ficou na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) parado, engavetado. Hoje o novo presidente quer extingui-la, mas este mesmo parlamentar ficou como relator desta proposta na CCJ. Acho bom ele ter tomado esta iniciativa, mas a pergunta é: por que não deu parecer favorável quando teve a oportunidade? Vai extinguir por causa da cobrança do Ministério Público de Contas? ", observou ele. 

Já com a Verba Indenizatória, o parlamentar economizou R$535 mil, durante o mesmo período, por entender que deve gastar somente o que for necessário, e não todo o montante disponibilizado aos parlamentares. "Temos que ter zelo com os recursos públicos, é a população que paga. Por isso, precisamos fazer uso somente do valor que, de fato, for útil para o exercício do mandato. Esse dinheiro economizado ficou na Assembleia Legislativa para ser aplicado para melhorar o serviço do Parlamento", expôs. Em 6 de outubro de 2015, José Ricardo protocolou um Memorando nº 282/2015 para reduzir em 30% a Verba e em 10% os salários dos deputados e diretores da Casa.

EXTINÇÃO DO "AUXÍLIO-PALETÓ" 

Extinto em 2013, o 14º e 15º salários o chamado "auxílio-paletó" dos deputados também foi uma proposta de iniciativa do deputado José Ricardo, - que não utilizava o benefício -, mas teve aprovação na Aleam somente depois que o Congresso Nacional decidiu dar fim a esta benesse.

“Esse tipo de privilégio caiu por conta da pressão da sociedade que quer um parlamento a serviço da população, e não, um lugar para os parlamentares se aproveitarem para ganhar benefícios que nem mesmo o trabalhador ganha”, disse ele.

Fonte: Assessoria de Comunicação