quarta-feira, 7 de maio de 2014

Waldemir critica manutenção do contrato entre a Prefeitura e a Consladel


Durante o Pequeno Expediente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), da manhã desta quarta-feira (7), o vereador Waldemir José (PT) retomou a discussão acerca da renovação do contrato de R$90 milhões entre a Prefeitura de Manaus e a empresa Consladel. De acordo com o parlamentar, é “uma surpresa que a Administração Municipal continue com esse contrato, uma vez que essa empresa é acusada de cometer várias ações ilícitas por todo o país”.

Waldemir lembrou que a Consladel ficou nacionalmente conhecida por bancar esquemas em vários cidades brasileiras envolvendo pagamento de propinas, favorecimento em licitações e fraudes na aplicação de multas. Por esses motivos, ele afirma ser inaceitável que a Prefeitura ainda continue com a prestação de serviços dessa empresa.

Além disso, o vereador lembrou que, em 2011, ele apresentou à Mesa Diretora da CMM proposta de realização de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a execução do serviço de instalação de radares pela empresa Consladel e, em 2012 apresentou requerimento solicitando a convocação do então presidente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Walter Cruz, e do secretário Municipal de Infraestrutura (Seminf), na época, Sr. Américo Gorayeb, para prestarem esclarecimentos sobre o contrato com a empresa. Nenhuma dessas ações foi aprovada pelos demais parlamentares.

“Desde 2011, como é de conhecimento de todos, que essa empresa é alvo de investigação e protagonista de inúmeros escândalos em vários lugares do Brasil. É um absurdo a Prefeitura continuar premiando uma empresa envolvida em fraudes com um contrato milionário”, concluiu Waldemir.