quarta-feira, 9 de abril de 2014

Após pressão dos Movimentos Sociais saiu os membros da CPI da pedofilia da ALE-AM

O deputado Josué Neto explicou que haveria um representante de cada bancada, mas não houve intendimento

Em reunião extraordinária, os deputados estaduais  do Amazonas escolheram os membros que irão compor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da Pedofilia), nesta quarta-feira (9), da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM).

Como presidente ficou o deputado Abdala Fraxe (PTN), como relator o deputado Orlando Cidade (PTN) e como membros titulares, o autor da proposta deputado Luiz Castro (PPS), Conceição Sampaio (PP) representando a participação feminina e Ricardo Nicolau representando a maior bancada do PSD.

Os deputados David Almeida (PSD), José Ricardo (PT), Tony Medeiros (PSL) e Vera Castelo Branco (PTB) ficaram como membros suplentes na Comissão.

O deputado Luiz Castro, que quase ficou de fora da CPI, disse não ter gostado da forma em que foi composta a CPI, mas que tinha que aceitar porque é regimental. A oposição gostaria de ocupar dois lugares como membro, o que não ocorreu, assim como gostaria que a deputada Conceição ficasse como presidente ou relatora da Comissão. “O que a sociedade esperava era que houvesse uma composição de membros de pessoas identificadas com a causa, porém isso, só seria possível se houvesse um consenso, coisa que não houve”, disse.

A demora da reunião, segundo Castro foi na escolha dos membros da maioria. Ele disse também que foi definido pela maioria dos deputados que só poderia entrar ou ele, ou o deputado José Ricardo como membro titular. Castro espera que seja feito um trabalho sério na comissão, mas destacou que ele é apenas um membro.

De acordo com o presidente da CPI, Abdala Fraxe, amanhã será marcada a primeira reunião da Comissão para definir o cronograma de atuação da mesma, quem será ouvido e a abrangência da CPI.